Apartamento Reinserção Social Braga

A Resposta de Reinserção Social acolhe, temporariamente, pessoas com problemas ao nível dos comportamentos aditivos e dependências, em fase de abstinência prolongada. A pessoa é vista de forma integral (sistémica), procurando-se suprir as suas necessidades e potenciar as suas capacidades de forma a promover a sua autonomia. A reinserção social conta com uma equipa multidisciplinar que preconiza o modelo de mediação social e comunitário que tem vindo, desde 1993, a responder às diversas transformações da sociedade no domínio dos comportamentos aditivos e dependências, inovando as suas práticas e modelos intervenção para dar resposta às exigências/desafios presentes e futuros.

Acolhe pessoas encaminhadas pelas seguintes respostas sociais/entidades
  • Comunidades Terapêuticas;
  • Estabelecimentos Prisionais (após saída em liberdade);
  • Centros de Respostas Integradas;
  • Segurança Social;
  • Outras Instituições de Solidariedade;
  • Outras Instituições de Saúde.
Destinatários
  • Homens e mulheres com mais de 18 anos;
  • Sem retaguarda familiar ou sem a garantia de um suporte familiar adequado;
  • Sem défices cognitivos graves;
  • Abstinentes de longa duração (mínimo de seis meses abstinente ou apenas com consumos esporádicos);
  • Em situação de desemprego/emprego precário ou com necessidade de apoio na manutenção do posto de trabalho.
Princípios orientadores
  • O conceito global da pessoa humana no respeito pela sua dignidade e integridade;
  • Não aceitar qualquer tipo de descriminação religiosa, política, económica, cultural, social, de sexo ou rácica;
  • A consagração dos direitos dos cidadãos;
  • A promoção da igualdade de oportunidades;
  • A responsabilização e mobilização de um conjunto de entidades público privadas numa intervenção integrada;
  • A participação ativa do individuo;
  • O humanismo;
  • O reconhecimento da multidimensionalidade do problema;
  • A multidisciplinaridade e trabalho de equipa.
Objetivos
  • Integração sociocultural: consolidação de um círculo efetivo de amigos, da relação familiar, social e cultural.
  • Integração sócio laboral: Iniciar/retomar a formação académica/técnico-profissional, ou, no caso de não ser possível retomar a sua anterior atividade profissional, fazer procura apoiada de emprego por forma a encontrar uma outra atividade profissional.
  • Autonomia progressiva: potenciar a autonomização, na inserção progressiva nas áreas familiar, social, laboral, económica, tempos-livres, entre outras;
  • Promover a cidadania a autodeterminação.
Acompanhamento e atividades desenvolvidas
  • Acompanhamento médico, psicológico e social;
  • Entrevistas individuais de apoio e orientação;
  • Elaboração do projeto de vida
  • Grupos de Desenvolvimento de Competências Pessoais e Sociais;
  • Grupos de Prevenção de Recaídas;
  • Seminários Temáticos;
  • Ocupação de tempos livres.
BUY NOW